Como ter o controle sobre o uso de insumos agrícolas?

Ganhar mais produtividade e aumentar a rentabilidade de seu trabalho é o sonho de todo agricultor. E a maioria das pessoas que trabalham no campo já entenderam que os insumos agrícolas são responsáveis diretos por mais da metade dos ganhos de produtividade das culturas. Esses insumos são usados no trato e na correção do solo, na adubação e na proteção das plantas ou na automatização de processos por meio de máquinas e equipamentos agrícolas.

No entanto, no dia a dia do agricultor, esse conhecimento acaba não sendo colocado em ação, o que resulta em níveis extremamente baixos de eficiência dos fertilizantes e corretivos aplicados para o incremento da produção, bem como na utilização incorreta de maquinários e equipamentos, o que acaba reduzindo o lucro da produção e diminuindo a qualidade de vida do agricultor.

No post de hoje vamos mostrar como você pode aumentar a eficiência do seu trabalho com o controle do uso de insumos agrícolas. Confira:

A necessidade de mudança de mentalidade

A produtividade agrícola está relacionada basicamente a três variáveis: o sistema solo-planta-atmosfera, a qualificação da mão de obra e o uso de insumos agrícolas. Na teoria, todas as essas variáveis estão interligadas e, ao trabalhar com uma, estamos melhorando a outra. Na prática, no entanto, o que se vê é uma preocupação desproporcional com a variável do uso de insumos agrícolas, mas não com a melhoria na sua inter-relação com os outros aspectos.

Visando uma maior produtividade por área plantada, o agricultor faz um alto investimento na compra de equipamentos de irrigação, tratores e outras máquinas e equipamentos, no uso de insumos químicos ou minerais, como calcários para calagem, fertilizantes ou micro nutrientes, além de usar insumos biológicos como os adubos. Mas, apesar do alto valor do investimento, acaba realizando pesquisas por amostragem em toda a sua área de plantio (e não em cada uma de suas partes), o que resulta em desperdício de uma grande parte dos investimentos feitos nos insumos por não serem usados adequadamente.

A explicação para este fato está no histórico de que investimentos em insumos sempre resultam num aumento visível na qualidade e quantidade da produção, já os investimentos em pesquisas e tecnologias de análise do sistema solo-planta-atmosfera não são visíveis, bem como a capacitação da mão de obra pode não trazer um incremento rápido na produção.

Aqui prevalece uma mentalidade mais voltada ao visível que ao rentável. Portanto, uma mudança nessa mentalidade pode aumentar o lucro do agricultor, pois ao ter um conhecimento mais técnico da plantação, poderá utilizar e controlar o uso dos insumos para obter maior rentabilidade na produção. Afinal, ninguém planta somente para ter a melhor lavoura da região, mas para aumentar seus lucros.

A importância de um bom diagnóstico

A mudança de mentalidade passa pela realização de uma análise antes de comprar ou usar um insumo agrícola. Essa análise ou diagnóstico poderia se basear em 7 perguntas:

  • O que comprar para melhorar a rentabilidade de minha lavoura?
  • Quais os dados que indicam isso?
  • O que usar ou aplicar?
  • Quanto aplicar?
  • Em que forma química?
  • Como aplicar?
  • Qual o retorno econômico esperado?

Somente após ter as respostas para essas 7 perguntas simples é que o agricultor deveria investir em novos insumos ou utilizar os insumos que já estejam à sua disposição.

A Produtividade Máxima Econômica

Ao utilizar os insumos químicos e biológicos na produção, muitos agricultores se esquecem da “Lei do Mínimo”. Essa lei explica que a produção de determinada área é determinada e limitada pelo nutriente que se encontra em menor disponibilidade naquela área, ainda que os outros todos estejam disponíveis em quantidades superiores às adequadas. Neste caso, não adiantaria investir em correções de alguns nutrientes e se esquecer de outros, pois a produção ficará limitada por aqueles que estão menos disponíveis e o investimento poderia ser jogado fora.

Aqui entra o conhecimento e diagnóstico correto de todas as partes da plantação em busca de uma Produtividade Máxima Econômica, que é aquela que busca o maior lucro para o agricultor, mas não aquela que busca simplesmente uma maior produção, sem considerar a rentabilidade.

O uso inteligente da agricultura de precisão é o caminho!

A oportunidade que os recursos tecnológicos dão no conhecimento bem delimitado sobre pequenas partes e sobre a área toda de plantio podem maximizar os lucros dos agricultores e apoiar no correto uso e controle do uso de insumos. Um exemplo disso é que um agricultor sem o auxílio da agricultura de precisão poderia aplicar fertilizante em áreas que precisam de mais calagem, o que resultaria em menos produtividade de determinadas áreas e menos lucros para o agricultor.

Com o uso de programas de simples manuseio da agricultura de precisão, como o Agra, é possível mapear corretamente a área de plantio, acompanhar e gerenciar a lavoura em tempo real e tomar decisões mais rápidas sobre o uso de insumos, acabando de uma vez por todas com o desperdício, aumentando a rentabilidade da plantação e melhorando a qualidade de vida do agricultor.

Quer saber como aumentar a eficiência no uso de insumos em seu plantio? Inscreva-se agora mesmos e passe a utilizar o Agra como seu aplicativo de agricultura de precisão.